.Quem sou eu??

.Tudo no lugar

. 10º mês(2)

. 11º mês(5)

. 1º mês(5)

. 2º mês(4)

. 3º mês(10)

. 4º mês(4)

. 5º mês(9)

. 6º mês(6)

. 7º mês(1)

. 8º mês(1)

. 9º mês(1)

. férias(1)

. geografia(7)

. grávida da joana(94)

. nascimento da joana(4)

. receitas(12)

. todas as tags

.Links

.Quem me visita

Web Pages referring to this page
Link to this page and get a link back!

.Arquivo

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

.Visitantes

online
   
blogs SAPO

.subscrever feeds

.Os meus Miminhos

Lilypie 2nd Birthday Ticker
Segunda-feira, 28 de Abril de 2008

O Parto

Pois bem, o parto da Joaninha foi assim:

 

Em primeiro lugar sempre pensei que custa-se muito mais, mas também a minha médica já tinha dito que não me ia deixar sofrer.

No dia 16 de Abril, tal como planeado, eu, a minha mãe, o meu marido e a Joana (ainda na barriguinha) fomos para o Hospital CUF Descobertas, às 7:30. Isto porque o parto da minha filha seria induzido, porque já estava com pouco líquido amniótico, segundo a última ecografia.

Mal chegamos lá tive uma surpresa, estavam a nossa espera os meus padrinhos para me desejar boa sorte.

Eu já sabia que podiam ficar duas pessoas comigo no quarto durante o trabalho de parto, mas acabaram por ficar 3: marido, mãe e madrinha, que só tinham que sair quando era necessário fazer o toque ou outra intervenção.

Depois de ter iniciado o processo de internamento, tivemos que esperar cerca de 1 hora para que nos viessem buscar à recepção.

Por cerca das 9h levaram-me para o quarto, o nº 1 do piso 2, quarto que eu já conhecia do meu internamento anterior.

Deram-me uma camisa aberta atrás, uns chinelos e dois clisteres. Depois, já na cama, ligaram o CTG , colocaram o soro e um antibiótico, e o famoso gel para provocar dilatação, doeu que se fartou, até pedi ao enfermeiro para parar, mas o que tem que ser tem muita força.

As dores, contracções, começaram logo instantaneamente, no fundo da barriga, principalmente do lado esquerdo, e com intervalos muito curtos, para mim parecia que não parava.

A minha médica apareceu um pouco mais tarde, mas disse que tinha que aguentar mais um pouco para levar a epidural porque ainda não tinha  evoluído a dilatação.

Tive sem epidural cerca de 3 horas, horríveis. De um lado o meu marido para lhe agarrar a mão e apertar com força, do outro lado a minha mãe. Eu só dizia que não aguentava mais, chamava pela minha mãe e apetecia-me gritar asneiras. O meu marido repetia, na tentativa de me acalmar, que parir era assim, tinha que ter dores, como se ele soube-se o que é parir.

Quando finalmente tive direito à "Santa Epidural", por volta das 12h, foi um alívio enorme. Não custou nada a ser ministrada , o anestesista era super simpático. Ele dizia que não era anestesista mas sim Bombeiro.  Uma picadelas, dois pequenos choques nas pernas e já está: as pernas e a barriga dormentes. Por mim podia ficar assim o dia todo que não me importava.

Levei 4 doses de epidural durante as 10 horas em que estive em trabalho de parto, o pior era quando o efeito passava e tinha que chamar os enfermeiros e aguentar a dor até que dessem outra dose. Tirando isto só me preocupava com o monitor do CTG , e até deu para ver um pouco de televisão, conversar e quase adormecer.

O CTG estava ligado à sala dos enfermeiros, onde viam a evolução das contracções e os batimentos da Joana, mas os pais nunca ficam descansados, e quando o coração dela começava a bater forte de mais ou muito lentamente ninguém tirava os olhos do monitor enquanto não ficava normal, isto porque eu já não sentia as contracções mas a Joana ainda as sentia, e bem.  

Por volta das 15h, a minha médica fez novamente o toque, mantinha-se tudo igual, apenas 1cm de dilatação. O meu marido só dizia "Doutora tire-a cá para fora", mas ela preferiu fazer mais uma tentativa antes de passar para cesariana, por isso aplicou-me mais uma dose de gel.

No toque seguinte, feito pela enfermeira, já tinha 4cm de dilatação, ficaram todos contentes.

Passadas mais algumas horas, 9cm. A médica fez uma festa, nunca pensou que o meu colo podesse dilatar a este ponto.

Quando o meu marido ouviu que faltava apenas meia hora, entrou em pânico, ficou muito pior do que eu.

Um pouco antes das 19h começaram os preparativos para ir para o bloco de partos, mais uma dose de epidural e despedir da minha mãe e madrinha. 

O pai foi-se vestir, segundo ele foi uma experiência desastrosa, porque com os nervos e a pressa, arrancou as tiras que servem para prender a bata e a máscara, resultado, passou o parto todo a segurar a máscara com as mãos.

Quanto a mim, posso dizer que o parto propriamente dito foi muito rápido, cerca de 5m . A enfermeira-parteira a pressionar-me a barriga, a médica a mandar fazer força, e eu não sentia nada e não sabia como devia fazer nem sequer como respirar.

A verdade é que resultou, e às 19:05 a Joana foi colocada em cima da minha barriga, depois de ter a ajudinha da ventosa.

A primeira coisa que pensei foi que ela era tão perfeitinha e linda, nunca pensei que podesse fazer algo tão belo. Estava a espera de um bebé pequenino, cheio de sangue e enrugado. Mas não, nasceu com 3.285g, 50.5cm de comprimento, e 33cm de perímetro cefálico. Fiquei tão contente e feliz.

A partir daqui o pai só chorava, foi preciso as enfermeiras lembrarem-no de tirar fotografias porque ele estava paralisado.

Depois de ter sido observada pela pediatra e ter sido vestida, pude vela melhor e dar-lhe um beijinho, depois saiu do bloco de partos com o pai para ir para uma sala onde foi aquecida debaixo de umas luzes.

Entretanto estive, talvez 20m, ainda no bloco de partos para que a placenta sai-se e para ser cosida. A primeira coisa que disse à médica foi que tinha sido espectacular, principalmente por não ter doido nada e que por isso queria ter já outro, ao que ela respondeu que tinha que esperar pelo menos um ano. Eu também estava a brincar.

A minha médica foi super querida. Só tenho a agradecer-lhe. Deu-me imensos beijos e fartou-se de elogiar o pai, que tinha estado sempre presente e participativo durante as consultas de pré-parto.

Estive no recobro durante 1:30, dei de mamar à minha menina e o papá veio ver como estávamos e tirar umas fotos.

Às 20h fomos para o quarto, desta vez o nº 7. Já lá estavam, também, à nossa espera o meu pai e o meu padrinho. Todos emocionados e felizes, de volta da pequenina.

Eu estava cheia de sede, mas ninguém me dava água, só queriam saber da Joana. Quando repararam em mim, bebi tanta água que enquanto estava a jantar vomitei tudo o que comi.

Mais tarde, quando tive autorização para me levantar e tomar banho, senti-me mal e quase que desmaiei. O que vale é que estava uma enfermeira comigo na casa de banho que me socorreu.

Ficamos no hospital por mais duas noites. O pai da Joana também ficou connosco. Voltamos para casa no dia 18. Entretanto, fomos visitados por vários amigos e familiares que quiseram conhecer a Joaninha e compartilhar da nossa felicidade.

Nos primeiros dias andei um pouco aflita com os pontos e com o peito, por causa da subida repentina do leite, mas faz tudo parte do acto de ter um filho. O que interessa verdadeiramente é que correu tudo bem. A minha filha é saudável e perfeitinha - E isso é o mais importante de tudo.

 

Para mim dar à luz foi fantástico e claro, recomendo a todas as mulheres.

Tudo no lugar:
Publicado por Anocas às 19:04
Link do post | Adicionar aos favoritos
4 comentários:
De Mãe Pimpolha a 29 de Abril de 2008 às 14:58
Eu também adorei ter o meu bebé.
As horas que estive sem epidural também custaram muito e só estive sob o seu efeito menos de 4 horas, mas senti-me no paraíso.
Muitos parabéns e ainda bem que adoraste a experiência!
De maeJoana a 30 de Abril de 2008 às 00:22
ainda bem que correu tudo assim tao lindamente! Fico feliz!! (so tenho pena nao me ter dado bem com a epidural...) ja to cheia de medo para daqui a a 3 meses... mais uma vez, a Joana e linda de morrer! estas de parabens!! beijossssss
De sofia a 30 de Abril de 2008 às 11:57
Olá querida mamã, mas que relato lindo, adorei!Imagino a tua felicidade e também a do pai que ficou muito emocionado :-)
Ficamos no mesmo quarto, o 7, no Piso2!
Por acaso o teu anestesista não era o Dr Fernando Brás?O meu foi muito simpático e brincalhão e, curiosamente, depois do parto, tive a mesma reacção que tu: "Que venha outro!"
Como está a Joaninha?Tem dormido e comido bem?
E a tua recuperação, como está a ser?
Beijinhos,Sofia,Pedro e Joana
De Jo a 6 de Junho de 2008 às 19:20
Olá mamã da Joana,
Fiquei emocionada ao ler a história do parto da Joana, benza a Deus... lágrimas )
Quem dera todas as mães e bebés pudessem ter um parto tão bom assim.
Fico feliz que tenha corrido tudo como desejado e desejo tudo de bom para ti e tua fofinha.
Não conhecia o teu blog, achei-o por acaso em pesquisas no google e fiquei contente com as coisas boas que aqui achei.
Espero que não te importes de visitar vos.
Muitos beijinhos pras duas.

Comentar post